​Norma contábil mudará regras para contratos de aluguéis

14/03/19
Notícias

Folha de S. Paulo - Maria Cristina Frias, Mercado Aberto - 14/03/2019

Agregar dados de arrendamento será a principal dificuldade das empresas na divulgação do balanço do primeiro trimestre deste ano.

Novas normas de contabilidade para os resultados passaram a vigorar em 2019.

Até o ano passado, os aluguéis eram considerados uma despesa corrente, mas, agora, o montante a ser pago até o final do contrato é anotado como uma dívida, e o direito ao uso, um ativo.

A ideia é dar transparência à situação financeira da companhia—ela terá obrigação de fazer pagamentos mensais por um prazo, o que deve estar explícito no balanço.

“Os cálculos serão complexos porque algumas empresas têm mais de 10 mil contratos, é um volume muito grande para se considerar”, diz Isabelle Dassier, sócia de auditoria da Deloitte, que fez a pesquisa sobre o tema.

A nova regra implicará um decrescimento de despesas ao longo do tempo do aluguel por uma norma contábil de tratamento dos juros.

Portanto, se uma companhia tem muitos contratos recentes, seu resultado operacional inicial será menor.

contato@nmaa.com.br
+55 11 3059 8800 (SP)
+55 21 3178-0388 (RJ)

Topo